A cor dessa cidade - uma homenagem à Cores de Aidê


A cor dessa cidade,
Não sou eu,
É resistência,
A essência,
Da luta.
São corpos de mulheres,
Que não desistem da labuta.
A cor dessa cidade é revolução,
Emoção,
É batuque e xequerê,
No Sul,
Não têm dendê,
Mas tem Cores de Aidê.
E viva eu,
Viva você,
Amém,
Axé,
E Fuzuê!

Texto de Bruna Barreto